Como a alimentação e as atividades físicas podem prevenir o câncer de mama

0
Atividades Fisicas

A prática de exercícios físicos, a perda de peso e mudanças na alimentação podem ser grandes aliadas na prevenção do câncer de mama, que é o tipo mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano.

A idade e o peso elevado aumentam as chances de a mulher desenvolver células cancerígenas, pois um dos principais hormônios produzidos pelo tecido gorduroso é o estrógeno, que pode contribuir com a proliferação destas células. ”As mulheres devem ter muita atenção à quantidade e qualidade dos alimentos. É essencial ter uma dieta equilibrada, com baixa quantidade de carboidratos, rica em vegetais e alimentos antioxidantes e livre de industrializados”, explica o cirurgião plástico Dr. Alberto Benedik.

O médico recomenda também a associação da alimentação correta com a prática regular de exercícios físicos como grandes aliados contra o câncer. “A prática regular de exercícios ajuda a manter o peso adequado, aumenta a disposição e a força e contribui com o melhor funcionamento da insulina e outros hormônios do corpo”.

Uma pesquisa, realizada pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, desenvolvida por cerca de onze anos, apontou que uma vida ativa fisicamente está associada ao menor risco no desenvolvimento de pelo menos 13 tipos de câncer e entre eles o de mama.

E não é só na prevenção do câncer que as atividades físicas são importantes, elas também podem ajudar na recuperação da cirurgia de retirada e reconstrução das mama, não só na parte física, mas nos aspectos emocionais, na autoconfiança e autoestima.

O câncer de mama

O câncer de mama não é comum antes dos 35 anos, apesar de estar havendo crescimento do número de casos nesta faixa de idade. Entre os homens também é raro. Com o passar dos anos, a incidência vai aumentando, especialmente após os 50. São vários os tipos de câncer de mama, alguns com evolução mais rápida e outros de crescimento mais lento, e a maioria dos casos, com a descoberta precoce, tem bom prognóstico e grandes chances de cura.

Sobre o Dr. Alberto Benedik

Formado pela Universidade de Brasília, especializou-se em Cirurgia Geral e em Cirurgia Plástica. É membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e da American Society of Plastic Surgeons (ASPS). Atualmente é responsável técnico e cirurgião plástico da Clínica INTI – Lago Sul Brasília e atua como médico na Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) em Brasília. Também é cirurgião orientador de cirurgiões plásticos em formação no Centro de Estudos do Hospital Daher.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here