Autoestima de pacientes é avaliada após reconstrução mamária

0

Mulheres que fizeram cirurgia plástica são acompanhadas no Hospital Regional de Taguatinga (HRT) para avaliar impacto do procedimento

Um encontro realizado no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), no último sábado (15), reuniu pacientes do HRT que passaram por cirurgia plástica para corrigir sequelas do câncer de mama. A iniciativa, além de promover uma confraternização ente pacientes e profissionais do hospital, visa avaliar a autoestima dessas mulheres que passaram por reconstrução mamária.  

“Em outubro foi iniciado um estudo para avaliar o impacto da reconstrução da mama na autoestima dessas mulheres. Então, fizemos uma confraternização para socialização entre elas e com a equipe que as atendeu. E para darmos continuidade na avaliação”, informa a responsável técnica da cirurgia plástica do HRT, Izabelle Montanha. 

O encontro foi um café da manhã, com música ao vivo e uma linda decoração. Durante o evento, as pacientes trocaram informações e tiveram a oportunidade de avaliar, por meio de formulário, como anda a autoestima após a reconstrução mamária.

Profissionais

A professora Heloisa Helena Lara, 42 anos, foi diagnosticada com câncer de mama em fevereiro de 2018, quando começou a fazer tratamento no HRT. Em outubro de 2019, fez a reconstrução total da mama. Ela ressalta a importância da intervenção cirúrgica para a sua autoestima: “Antes da cirurgia estava me sentindo muito triste e ansiosa. Atualmente, estou me sentindo muito feliz, com a minha autoestima recuperada, realizada e agradecida eternamente a Deus, às minhas médicas e a toda a equipe que me atende no HRT”, disse.

A paciente também relatou o quanto a equipe de profissionais do HRT foi importante durante todo o tratamento. “Toda a equipe do hospital é maravilhosa, sempre nos tratam com maior respeito e carinho. Só tenho a agradecer. Nosso atendimento aqui tem sido excelente, um atendimento muito humanizado”, afirma a professora Heloisa.

Após a compilação dos dados, o estudo será publicado em revista científica.

Fonte: AGÊNCIA BRASÍLIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here